sexta-feira, 2 de março de 2012

Dicas importantes quando se é diagnosticado com diabetes tipo 1

Este post é dedicado aos pais que descobriram recentemente o diabetes de seus filhos, queria fazer uma matéria com algumas informações importantes quando se é diagnosticado com DM1, ai me lembrei que no site do Endocrino do João, tinha essas informações e nos ajudou muito, então resolvi compartilhar aqui.

Segue a matéria.

Não é fácil descobrir que a criança tem diabetes
Os pais podem sentir-se nervosos, ao aplicarem as injeções e verificarem a glicemia com receio de ferirem seu filho, e inseguros na hora de escolher os alimentos; passam a se preocupar com muitas coisas com as quais jamais se preocuparam. Mas, passo a passo, dia após dia, todos aprenderão a lidar com o diabetes. 

Você não está sozinho
Milhares de famílias estão passando pela mesma situação. O diabetes afeta todos os tipos de pessoas, de todos os estilos de vida e de todas as etnias e nacionalidades. Estima-se que, no Brasil, existam mais de 600 mil pessoas com diabetes tipo 1.

Uma criança com diabetes pode fazer tudo o que uma criança sem diabetes faz
Com um bom controle glicêmico (do açúcar no sangue), a criança conseguirá fazer as atividades habituais que outra criança sem diabetes faz. Essa doença é séria, e orientações quanto à nova realidade' por meio de uma alimentação saudável, exercícios, monitoramento regular do açúcar no sangue e aplicações de insulina, além de muito amor e compreensão, devem ser transmitidos.

Às vezes, mesmo agindo corretamente, as coisas podem dar errado
Manter o nível de açúcar no sangue na faixa desejada, durante todo o tempo, pode ser desafiador e gerar frustração. Isso acontece especialmente com as crianças, porque a glicemia delas varia mais que a dos adultos. Os adolescentes costumam passar por momentos ainda mais difíceis que as crianças menores com o controle glicêmico. O segredo é não desistir. À medida que se aprende e se adquire experiência, tudo melhora.

O que está acontecendo no corpo
Células especiais do pâncreas (órgão localizado próximo ao fígado), chamadas "células beta", produzem insulina. O corpo necessita da insulina para conseguir utilizar os alimentos para geração de energia. Em uma criança com diabetes tipo 1, o corpo ataca e destrói essas células especiais produtoras de insulina, parando de produzi-Ia. Não se sabe exatamente por que isso acontece.

A insulina é o único tratamento
Sem insulina, o açúcar fica no sangue em vez de entrar nas células. Isso significa que as células não conseguem a energia que necessitam. É aí que entram as injeções de insulina, que tiram o açúcar do sangue e o colocam no interior das células. Uma criança com diabetes tipo 1 deve receber insulina para sobreviver.

Por que não existe uma pílula de insulina
Existem muitos problemas envolvidos na criação de uma pílula de insulina, os ácidos estomacais iriam digeri-Ia. Mesmo se não fosse dissolvida, a insulina demoraria mais para entrar no sangue. Por fim, as necessidades diárias de insulina são diferentes de uma pessoa para outra, de refeição para refeição. Esses fatores dificultam a criação de uma pílula de insulina que possa ser tão eficaz quanto as injeções ao controle do açúcar no sangue.

Dando insulina para o diabético
Uma vez que o pâncreas não consegue produzir insulina, esse hormônio deve estar sempre à disposição. Isso significa que várias injeções devem ser aplicadas todos os dias, ou uma bomba de insulina deve ser utilizada. Crianças com diabetes tipo 1 precisam de insulina de ação intermediária ou longa (basal) para ajudar a manter os níveis glicêmicos sob controle, durante o dia e a noite. Elas também precisam de insulina de ação rápida (bólus alimentar) para equilibrar os níveis de açúcar durante as refeições.

Uma injeção de insulina atua como a insulina natural
Inicialmente, é natural você ficar assustado ao aplicar uma injeção de insulina na criança. Quando o pâncreas não consegue trabalhar por conta própria, isso terá de ser feito por outra pessoa. Mas lembre-se: toda vez que uma injeção de insulina for aplicada em uma pessoa diabética, ela estará recebendo algo semelhante àquilo que o corpo não consegue produzir.

Verificação da glicemia
É muito provável que o médico sugira que a glicemia seja verificada várias vezes ao dia. Para fazer isso, é necessário um glicosímetro. Siga as instruções dadas pelo médico ou as instruções que acompanham esse aparelho. Os resultados de glicemia são ferramentas poderosas para compreender e cuidar do diabético.

Verificação com um glicosímetro
A maioria dos aparelhos utiliza uma pequena gota de sangue do dedo ou do braço do paciente. Coleta-se o sangue com uma pequena agulha chamada lanceta. Em seguida, aplica-se o sangue em uma tira de teste e, depois, deve ser inserida no glicosímetro. Em poucos segundos, o aparelho mostrará um número: o nível de glicemia naquele momento.

Por que é importante verificar a glicemia
Quando se sabe o nível de açúcar no sangue, pode-se escolher o que fazer. É importante não pensar no número do medidor corno um resultado bom ou ruim, mas, sim, como uma ferramenta que o ajudará a tomar decisões. Mantenha um diário de glicemia Uma ótima maneira de acompanhar os níveis de açúcar no sangue é mantendo um diário de glicemia. Nesse diário, podem-se anotar a faixa de variação ideal para o paciente e as leituras diárias de glicemia. Ao fazer isso, o médico terá as informações necessárias para detectar as tendências da glicemia e, com isso, ajustar o tratamento utilizado.

A FASE DA LUA DE MEL

Uma experiência comum
Algumas crianças com diabetes tipo 1 podem passar por um período de melhora aparente após iniciar a terapia com insulina. Esse período é chamado "fase da lua de mel", o qual pode durar semanas, meses ou até mesmo um ano ou mais. A maioria das crianças diagnosticadas antes dos 12 anos de idade passará por essa fase.

O que acontece depois
Durante a fase da lua de mel, o pâncreas pode ainda liberar um pouco de insulina, porém, com o passar do tempo, esse mecanismo para. Se isso acontecer, o paciente precisará de mais insulina nas injeções. O apoio mútuo também, durante a fase da lua de mel, facilitará o ajuste do tratamento do diabetes após esse período ter passado.

DADOS IMPORTANTES

O controle da glicemia no dia a dia
Os níveis de açúcar no sangue (glicemia) mudam ao longo do dia, até mesmo em pessoas que não têm diabetes. Fatores, corno alimentação, prática de exercícios, crescimento, estresse e doenças, podem afetar esses níveis de açúcar. Cada pessoa e cada situação são diferentes. Por isso, é importante saber qual é a faixa adequada para cada um.

No entanto, independentemente dos valores de referência usados, alguns poderão ser maiores ou menores; ninguém tem valores perfeitos o tempo todo.

Observação: algumas crianças podem necessitar de valores maiores ou menores.

Dois tipos de insulina necessárias para seu filho
Crianças com diabetes tipo 1 precisam de dois tipos de insulina: uma de ação intermediária ou longa (basal), que ajuda a manter o açúcar no sangue controlado durante o dia e a noite; e outra de ação rápida (bólus alimentar), que ajuda a equilibrar o açúcar no sangue durante as refeições.

O controle da glicemia a longo prazo
A hemoglobina glicada (A1C) é um exame sanguíneo, que mede o controle médio da glicemia ao longo de um período de dois a três meses, e é realizado em laboratório.
Os valores de referência da A1C estabelecidos para crianças são maiores que os determinados para a maioria dos adultos. Isso acontece para a segurança delas. Conforme a criança cresce, ou conforme a glicemia estabiliza-se, o médico poderá diminuir a faixa de referência da A1C. A maioria das pessoas com diabetes não apresenta uma A1C ideal o tempo todo. Essas diretrizes têm como intuito ajudá-Io e auxiliar o médico a manter o paciente sob controle. É importante consultar o médico sobre qual é a faixa de referência mais adequada para o diabético.

Observação: conforme a criança cresce, o valor-alvo da A1C ficará um pouco menor, mas cada pessoa e cada situação são diferentes.

2 comentários:

  1. excelente explicação Silvia!!!!

    beijos,

    Laiara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Laiara!!!
      Obrigada pela visita!!!
      Adorei!!!
      Beijo pra vc!

      Excluir