segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Um, dois, testando...

por Ana Beatriz Linardi

Depois de 4 anos com a Paradigm 522, decidimos testar a Combo. O reservatório pequeno já não está dando conta das necessidades.
Iniciamos hoje o teste. Todas as explicações foram passadas diretamente para a Alice que, rapidamente, aprendeu todos os passos, inclusive encher o reservatório.
Nós já estávamos trabalhando nesse sentido, dela fazer tudo sozinha e, assim, ganhar mais autonomia.




De quebra teve coisas que a Alice gostou muito:
- o tamanho. Embora com reservatório com quase o dobro de capacidade, a Combo é praticamente do mesmo tamanho que a 522.
- a manipulação toda através do glicosímetro.
- a insulina irá durar seis dias! Com a bomba pequena estava durando dois e meio.

A interface é semelhante mas, alguns parâmetros foram novidades. Mas nada desesperador, em pouco tempo ela pegou o jeito e eu, que tudo assistia, também, de forma que fiquei confiante.
Quando formos trocar o cateter e o reservatório com certeza iremos nos atrapalhar um pouco mas, no fundo, o princípio é o mesmo. Mas claro que me certifiquei de ter salvo o celular da Daniele, que nos orientou em todo o processo.

Na hora da troca Alice, para quem tudo vira diversão, pediu que eu tirasse uma foto dela com as duas para publicar no face com a legenda: isso que é glicemia alta!
Estou confiante, acho que esse período será tranquilo.




quarta-feira, 18 de setembro de 2013

[Informativo] Você sabia?

Precisamos de investimentos em pesquisas e parcerias para ajudar na melhoria da qualidade de vida em diabetes.

Recebi esse Infográfico da Eli Lilly, tem informações importantes, vale conhecer o programa parceria Lilly de Doenças Não Comunicáveis.

Conheça o Instituto da Criança com Diabetes citado no programa, clique aqui.





segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A primeira bomba a gente nunca esquece!

por Ana Beatriz Linardi

Depois de 4 anos, a bomba de insulina da Alice deu problemas técnicos e teve que ser trocada.
Ontem ao embalá-la para devolução, Alice quis se "despedir":

"Minha primeira bomba! Obrigada, bombinha! Você fez um bom trabalho!"


Brincadeiras a parte, deu para perceber o quanto esse aparelho está integrado na vida dela. 
Muitas pessoas ficam impressionadas e perguntam se o fato de carregá-la conectada ao corpo o tempo todo traz incômodo ou limitação.
Posso dizer, pela nossa vivência aqui, que nenhuma. A adaptação das crianças é impressionante.
Essa bomba da Alice tem histórias afinal, está com ela desde que ela tinha 6 anos de idade. Participou de todas as suas estripulias. Sua devolução não poderia passar despercebida.

Aqui, a despedida!


Texto: Ana Beatriz Linardi

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Teste de glicemia obrigatório um procedimento vital!

Damos voltas e voltas e cá estamos novamente com o assunto teste de glicemia obrigatório no atendimento de emergência e urgência, uma gotinha de sangue tão pequena mas que tem um valor inestimável, muitas vezes entre a vida ou a morte.

Esse é mais um caso de diagnóstico onde a gotinha mágica teria feito diferença no primeiro atendimento. Eles moram pertinho da gente, logo vamos nos conhecer, fiquem com o depoimento da mamãe Ana Beatriz, após assine e compartilhe a petição. Obrigada pelo apoio, essa causa é de todos nós!

Eu sou Ana Beatriz, mãe do Bruno de 8 anos a 9 meses diagnosticado com dm1, vou contar um pouco da nossa história:


Em outubro de 2012, meu pai faleceu por complicações de um cirurgia cardíaca meu filho, o Bruno era muito ligado com avô, nós morávamos juntos , eu meu pai, minha mãe mais minha filha de 10 anos. No dia do falecimento, no mesmo horário que meu pai falecia no hospital o Bruno começou a vomitar... (Bruno sempre foi uma criança extremamente saudável).

Levamos ao pronto socorro, colocaram no soro, fizeram exame de urina... diagnóstico: virose, mesmo o exame de urina apresentando cetonas, ainda questionei a médica que me disse porque o soro que ele estava tomando era glicosado, enfim.. nos liberam, prescreveram ainda dramin, voltamos pra casa.

Dieta bem leve ele quase não comeu nada.. A noite o Bruno começou novamente a passar mal, mas queria esperar o próximo dia pra levar a uma consulta na pediatra.. porque estava traumatizada com hospital por ter passado 12 dias com meu pai, mas não teve jeito quando foi 4 horas da manhã o Bruno gritava de dor na barriga, e estava com dificuldade para respirar... coloquei o Bruno no carro e fui correndo ao pronto socorro, onde foi atendido rapidamente e levado a uma especie de UTI pronto socorro, onde já colocaram oxigênio e ate monitoram batimentos cardíacos .. e nesse momento eles me disseram que era caso de apendicite que teriam que operar com urgência, chamaram outro médico especializado e fizeram exames... e viram que não era apendicite.. então me disseram que era uma super bactéria e que teriam que interná-lo e dar antibióticos e foi o que fizeram.... cheguei no hospital as 4h da manhã até as 14h, quando estava internado o Bruno estava muito mal... resolveram fazer o dextro e ai deu 687..

A médica na hora solicitou uma ambulância e nos transferiu para uma UTI pediátrica porque era a unica preparada para atender esse tipo de caso. Quando chegamos na UTI o médico que nos atendeu disse que as próximas horas seriam vitais para o Bruno, ele estava muito descompensado, os índices dele eram muito ruins... esse médico passou uma noite inteira ao meu lado e do Bruno prestando os cuidados, foi ele e a equipe da Santa Casa de Limeira quem salvou meu filho, ele ficou ainda uma semana internado.

Hoje o Bruno é um criança que leva uma vida normal, muito saudável ele mesmo sabe se cuidar, ele faz teste, aplica a insulina, sabe o que pode e não pode comer, os médicos dizem que ele esta ainda na fase lua de mel, porque tem dias que só precisa da insulina Lantus que aplicamos de manhã.

Hoje ele faz MMA todos os dias, quer ser lutador e adora fazer.. o exercício faz com que ele precise menos de insulina, é muito responsável com a alimentação, buscando ser sempre saudável. Claro que de vez em quando quer comer um pouco mais, o que é normal, mas conseguimos controlar.

Bom essa a nossa história, a cada dia uma surpresa e assim vamos levando...Fé e Amor.




Para assinar a petição é só clicar na imagem.