segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Lá vem o Ano Novo!

Vem aí um ANO NOVO.
Então, respire fundo...
Receba as novas energias...
E esteja pronto para novos pensamentos...

Afinal, este será o melhor ANO de sua VIDA.
Então deixe que o seu coração se encha de paz..
E que o amor invada sua alma...

Não espere apenas um BOM ANO.
Abrace o Grande ANO.
Reflita sobre tudo o que passou.
Aprenda com o que viveu.
Ressignifique...
E revigore suas expectativas.

Afinal, vem aí Um NOVO ANO cheio de oportunidades.
Que ele seja afortunado...
Que prevaleça o perdão ...
Que você sorria 365 dias, sem perder o fôlego
E que a cooperação seja tão comum quanto dormir e acordar.

E que a cada amanhecer você seja grato por estar vivo,
E por poder recomeçar...
E assim, sinta a felicidade irradiar a sua vida...
E tenha a certeza de que neste NOVO ANO, tudo de bom, será ainda melhor!
(A.D.)

Obrigada pela sua presença e pela troca constante em nosso aprendizado, você é importante pra muita gente, inclusive aqui. =]
Feliz 2016, feliz Ano Novo, feliz todos os dias.
Blog João Pedro e o Diabetes
 

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Diabulimia: distúrbio que pode ser fatal

Transtorno afeta pacientes com diabetes tipo 1 que deixam de tomar a insulina deliberadamente
Adolescentes do sexo feminino com diabetes tipo 1 formam o grupo de maior risco para o desenvolvimento de diabulimia, transtorno alimentar ou de imagem corporal, como a bulimia e a anorexia, porém com características relacionadas à administração da insulina. Portadoras de diabulimia aliam a rejeição aos alimentos – comum a todos os transtornos de imagem corporal – à redução ou até ao abandono do tratamento do diabetes por saberem que a perda de peso é um dos efeitos mais imediatos da falta de insulina. É mais um distúrbio que coloca a saúde em risco em nome da estética da magreza.
Um dos principais hormônios produzidos pelo corpo humano, a insulina é de vital importância para o funcionamento do organismo e para o crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes. Nos portadores de diabetes tipo 1, o pâncreas é incapaz de produzir a insulina, que precisa ser suprida por meio da autoadministração.
A conduta clássica no tratamento da doença consiste em ensinar a criança ou adolescente a se medicar para que possa manter sua autonomia e independência. “O paciente recebe todas as informações relacionadas à importância de administrar corretamente a insulina, tanto no que se refere à dose certa quanto aos intervalos adequados, e é alertado sobre o que pode acontecer se não seguir à risca o esquema”, diz o Dr. Ricardo Botticini Peres, endocrinologista do Einstein.

O outro lado da informação

Com pleno conhecimento sobre o mecanismo de ação da insulina, pacientes com propensão ao distúrbio alimentar acabam tendo nas mãos um poderoso instrumento para provocar o rápido emagrecimento. Sem insulina, o corpo perde a capacidade de utilizar a glicose como fonte de energia e vai buscar essa energia na gordura.
O resultado desse processo, porém, é extremamente perigoso: trata-se da cetoacidose, uma complicação do diabetes que tem como principais sintomas desidratação, perda de massa muscular, fadiga intensa, hiperglicemia, aumento na frequência e na quantidade de micções, hálito com odor acentuado de acetona e confusão mental. Se não detectada a tempo, a cetoacidose pode levar à morte em menos de 48 horas de ausência ou insuficiência de insulina.
Não há dados sobre a incidência de diabulimia no Brasil ou no mundo, pois felizmente se trata de um distúrbio pouco comum, associado ao diabetes tipo 1, que representa apenas 10% do total de casos da doença.
Entre adolescentes diabéticos ocorre com alguma freqüência uma rejeição inicial ao tratamento com insulina, pois eles temem ser discriminados pelos colegas ou sofrer limitações. "Mas não há qualquer relação direta entre a rejeição inicial ao tratamento do diabetes e a manifestação da diabulimia. Se não fossem diabéticos, esses jovens provavelmente apresentariam outro tipo de transtorno de imagem corporal, como a bulimia ou a anorexia", explica o Dr. Rogério Ribeiro, endocrinologista responsável pelo Programa de Diabetes do Einstein. Estima-se que ao longo da vida esses transtornos afetarão entre 0,5% e 4% da população feminina mundial.
Apesar da falta de estatísticas, o fato é que o excessivo apelo à magreza como padrão estético de beleza vem fazendo com que a diabulimia cresça em outros grupos onde até alguns anos atrás a manifestação era extremamente rara. "Há relatos de casos em jovens do sexo masculino e em mulheres adultas, já casadas e com filhos", comenta o Dr. Simão Augusto Lottenberg, endocrinologista do Einstein e professor-assistente da disciplina de Endocrinologia da Faculdade de Medicina da USP.
Pais, familiares e responsáveis devem ficar atentos a qualquer sinal de emagrecimento súbito do paciente e levá-lo ao médico responsável pelo acompanhamento do diabetes para evitar complicações, principalmente da cetoacidose. Uma vez diagnosticada a diabulimia, o caminho é associar a terapia convencional do diabetes ao tratamento psicológico ou psiquiátrico.

 Fonte: Einsten Saúde

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Açúcar do bem: o que ter atenção na hora de adoçar

 O açúcar é necessário ao organismo, com ou sem diabetes o corpo precisa dessa substância, o segredo é a moderação.
Gostei desta reportagem e coloquei aqui pra gente ;)

 

O açúcar já foi apontado como vilão diversas vezes. No entanto, não precisa ser assim. Como lembra o site MdeMulher, uma dose dele é capaz de fornecer energia, espantar a tristeza e até o estresse. Isso acontece porque ele eleva a produção de substâncias que trazem bem-estar, como a serotonina.

O perigo está no excesso, que pode acarretar em obesidade, doenças do coração, diabetes e até envelhecimento da pele. E os brasileiros precisam se cuidar, pois o país consome mais açúcar que os americanos, considerados os reis do doce. Por ano, cada brasileiro ingere perto de 55 kg.

E o adoçante também traz suas desvantagens. Aspartame, sacarina e ciclamato podem, sim, aumentar o ganho de peso, uma vez que "enganam" o cérebro, fazendo-o achar que se está consumindo glicose.

Veja as características dos tipos de açúcar e adoçante mais comuns:  

Cristal 
Extraído do caldo de cana-de-açúcar, resulta na perda de até 90% dos nutrientes. Pode ser usado para doces e para adoçar bebidas com a mesma contagem de calorias do açúcar refinado.  
Calorias: 22 em 5 g. 

Mascavo 
Também vem da cana, mas resulta em um açúcar mais puro, com mais nutrientes, principalmente ferro e manganês (minerais que previnem anemia e reforçam as defesas do organismo), além de cálcio, magnésio, zinco e vitamina B. Contra, tem o fato de possuir um sabor mais marcante e próximo da cana. A validade também é menor e deve ser consumido logo.  
Calorias: 20 em 5 g. 

Melado de cana 
Por ser produto bruto da cana-de-açúcar, apresenta mais propriedades saudáveis do que os outros tipos. Rico em ferro e vitaminas do complexo B, é uma boa opção para suprir as necessidades nutricionais de quem não come carne vermelha. Porém, não é indicado para preparações quentes.  
Calorias: 15 em 5 g. 

Estévia 
É extraído de uma planta medicinal originária da fronteira do Brasil com o Paraguai. "Ele não altera o nível de açúcar no sangue, por isso pode ser usado com segurança por diabéticos", indica o médico Romualdo Lima. 
Calorias: menos de 1 em 1 g. 

Sucralose 
É o único adoçante sintético derivado da cana-de-açúcar. Como lembra o site, é bem doce e versátil na cozinha. Os especialistas apontam segurança no consumo de até 15 mg por quilo de peso por dia. No entanto, os compostos podem reagir com as bactérias da flora intestinal e provocar cólicas, diarreia e inchaço abdominal.  
Calorias: menos de 3 em 1 g.  

Sacarina 
Extraída de um derivado do petróleo (o tolueno), adoça até 400 vezes mais do que o açúcar comum. Não afeta os níveis de insulina no sangue e é indicada para quem tem diabetes. Os especialistas defendem como limite para o consumo saudável 5 g de sacarina por quilo de peso corporal por dia. Mas vale o alerta para a quantidade de sódio presente.  
Calorias: menos de 3 em 1 g. 

Aspartame 
É um dos mais consumidos no Brasil. Já foi acusado de provocar diversos males, de dor de cabeça e perda de memória a fibromialgia e câncer de fígado e pulmão. A polêmica foi tanta que, em 2013, OMS se pronunciou e afirmou não haver evidências suficientes para condenar o uso dentro dos limites seguros - 40 mg por quilo de peso.  
Calorias: menos de 3 em 1 g. 

terça-feira, 17 de novembro de 2015

[Com a Palavra] Elaine, Bruno e o Diabetes

Nas doces vivências nos encontramos e descobrimos que não estamos sozinhas, caminhamos juntos. Uma história da vida real!

Com a Palavra: a querida Queen Elaine Cox!! =)

Meu nome é Elaine e nossa história começa em 1999 onde meu marido em uma viagem passa mal, meu filho tinha na época 3 anos.

Ele ficou internado e descobriu que tinha diabete tipo 2, esse foi o primeiro contato com a doença, mudamos a alimentação e a vida seguiu. 

Em abril de 2006 meu filho com 9 anos estava viajando com os padrinhos quando passou mal, voltaram antes, levamos ele no hospital diagnóstico virose, entramos com antibióticos, passou uma semana e ele estava cada dia pior, voltamos ao pronto socorro, diagnóstico virose mais medicamentos, a cada dia ele ficava mais caidinho, fraco, levamos em outro hospital onde a médica pediatra era endocrinologista e pediu o destro onde a glicemia estava em 650 com cetoacidose, diagnóstico diabete mellitus, ele foi para UTI permaneceu 3 dias e depois mais 7 dias no quarto até estabilizar.

Encontramos médicas que foram anjos que nos indicaram o hospital São Paulo e depois a Associação ADJ onde ele fez todo acompanhamento.

Foi muito difícil apesar de meu marido ser diabético, percebemos era muito diferente do meu filho, entre loucuras de mãe, internações, hospitais, resolvi parar e procurar o máximo de informação possível e depois do surto de mãe culpada consegui equilíbrio pra lidar com dois diabéticos.
Bom um faz 16 anos e o outro 10 anos, os dois estão bem Graças a Deus sem sequelas, fácil não é, da trabalho, as vezes é cansativo, mas a forma como lidamos com o problema aqui é que fez toda diferença .

Fui fazer voluntariado em associações com outras doenças mais grave e isso me ajudou a perceber e agradecer a Deus, pois a doença de meu filho não tem cura mas tem ótimo tratamento, hoje ele trabalha, faz faculdade, academia, dirige, esta na fase de sair e chegar de madrugada, como qualquer outro jovem da idade dele, tem uma vida normal, resolveu optar por não usar bomba de insulina, mas graças a Deus mantém a glicada em um valor bom, agora meu marido esse sim ainda me da trabalho kkkkk mas mesmo assim por aqui tudo bem.

E tem mais, há 7 anos minha mãe ficou diabética quando meu pai faleceu, aqui tem todos tipo de diabete, emocional, obesidade, tipo 1 kkkk ou seja tem que estar muito bem p cuidar de todos kkkk.

Bruno:19 anos( filho) " Nem lembro que tenho diabetes, só lembro quando tenho hipo, isso é chato, já tive em apresentação de trabalho da facu, quase desmaiei, mas tirando isso, não tenho limitações, minha vida é igual do meus amigos , é automático medir e tomar insulina em qualquer lugar".

Flávio 50 anos (marido) "É difícil manter o controle com a obesidade mas tento controlar, meu filho é quem me controla e conta carboidratos é uma superação todos os dias."



Agradecimento!
Elaine, Queen de nossas manhãs foi um prazer ter sua vivência aqui no JP e o Diabetes, só veio acrescentar. Beijão querida!!
Gratidão!

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

[Com a Palavra] Diabetes, que aventura é essa?

Com a Palavra: Simone Vollbrecht, mãe de três, psicóloga clínica e quando sobra um tempinho escreve na página Família Tipo 1.

Agora Somos 5 - Família Vollbrechet
Quando a gente fala em diabetes e o emocional uma variedade infinita de possibilidades de sentimentos pode formar este cenário.

Cada pessoa é única, cada família funciona de um modo, cada um tem seu tempo para entender, aprender, agir, suportar, aceitar, apoiar.

Por isto, falar o que se sente vivendo na pele (literalmente) com o diabetes, ou convivendo com alguém que amamos e que tem diabetes, é muito subjetivo.

Mas uma coisa podemos afirmar: todos ficamos mexidos quando recebemos a notícia do diagnóstico. E nesse ponto entram todos os envolvidos: pessoa diagnosticada, família, amigos, colegas, e até os desconhecidos, quando nos veem aplicando insulina, medindo a glicemia, ou sentindo uma hipoglicemia.

Só que, para alguns a tristeza é muito grande e o tempo de se organizar para enfrentar o novo desafio pode ser mais longo. 

Para outros a praticidade fala mais alto, e é preciso ser positivo para encarar toda a aprendizagem que uma doença crônica exige. É preciso agir.

E para muitos a negação funciona como defesa no início. Se não sei, não sofro, nem preciso mudar. Muito mais fácil, mas também muito mais perigoso.

Outra questão importante é o fator tempo. Ele faz uma enorme diferença no modo como encaramos o diabetes. No comecinho, dessa nova vida, tudo pode ser estressante, cansativo, aborrecido, pesado, sufocante. Mas eu te falo por experiência - lá se vão sete anos de diagnóstico no meu currículo como mãe - isso tudo uma hora passa. E depois pode voltar. Por que a vida é feita de fases. A gente aprende a lidar com as dificuldades, cresce, perde os medos. E de repente, às vezes, a gente cansa de novo, porque a rotina é assim. Daí a gente precisa pedir ajuda para a família, para os amigos, ou para um profissional capacitado. Ou umas pequenas férias, de alguns dias, já bastam. Às vezes, um simples desabafo resolve.

E aí, a gente sempre se renova. Porque o diabetes também faz isso. Ele nos modifica, nos transforma. A gente começa a valorizar coisas mais simples, aprende a dar importância ao que realmente importa: as pessoas e suas relações interpessoais. Por este motivo, o diabetes faz a gente ganhar um monte de amigos novos. Amigos distantes virtualmente, mas que se tornam tão próximos por saberem exatamente o que sentimos e vivemos. E também os que pessoalmente nos acompanham nessa aventura chamada diabetes.

Para mim é uma aventura sim. Bem desafiadora, com certeza. Mas também cheia de beleza e amadurecimento pessoal. Algumas pessoas precisam correr desafios na vida para se sentirem vivas. Subir montanhas, pular de paraquedas, nadar quilômetros no mar, ou viver uns meses num mosteiro na China. Eu te garanto, o diabetes vai te dar todas essas sensações e emoções sem sair de casa. Porque você precisa se cuidar para cuidar da sua saúde ou de algum familiar, você precisa estar centrado, ter foco, disciplina, disponibilidade, coragem, e claro, paciência e bom humor. Requisitos essenciais para que o trajeto a percorrer tenha além dos espinhos (e agulhadas), muitas flores e paisagens belíssimas. 

O diabetes nos faz ter emoções muito intensas. Algumas bem chatas e angustiantes. Mas as que são boas, e surpreendentemente elas ocorrem com frequência, são as mais bonitas que já tive na vida: a alegria nas pequenas conquistas. Como ver minha filha ter coragem aos sete anos de assumir todo o seu tratamento na escola, e me encher de orgulho. Ou quando eu e meu marido nos fortalecemos mutuamente para apoiá-la. E ainda, quando nos sentimos amados por nossos amigos e familiares, só por tê-los ao nosso lado, caminhando junto nessa grande aventura.

Nota de Agradecimento!
Simone foi um prazer ter a sua participação no blog JP e o Diabetes, ainda mais num momento tão importante, "Somos 5", muitas felicidades para todos!
Gratidão, querida!! =)

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

[Com a Palavra] A cura para o Diabetes! Uma causa perdida?!

Arte: Marcelo Raymundo
http://marceloconscious.wix.com/nobarato#!home/mainPage
 Com a palavra: Marcelo Raymundo

Ok! Você deve estar convencido de que eu acredito plenamente na Cura do Diabetes e que isto deverá acontecer por estes dias!

Pois é! Não, eu não acredito que isto irá acontecer agora e nem tenho esperanças de que acontecerá tão cedo, não mesmo, pode crer.

Na verdade, eu estou muito mais equilibrado e consciente sobre estes assuntos.

Estive muito tempo perdido, desanimado e sem esperanças, mas caí na real, isto não será uma realidade em nossas vidas, pelo menos, para a humanidade atual.

Para falar a verdade, me sinto até um pouco ridículo quando cito este assunto próximo a um médico, ou qualquer outro profissional mais estudado da área da saúde, pois todos têm consciência de que não há estudos sérios neste sentido.

Talvez, por interesses das grandes indústrias, ou quem sabe por não existir alguma solução real para este problema neste momento, ou ainda, incompetência dos cientistas (o que creio ser pouco provável).

Seja como for, eu posso estar certo ou errado, o Mundo não estar nem aí para os problemas que cercam este assunto, entre outras muitas possibilidades, mas lembre-se : Não desista de se cuidar! Este é o único caminho para manter-se vivo e bem. Com certeza, prefira sempre o caminho do cuidado cauteloso e a prevenção.

Mais do que ter medo de perder um olho, uma perna, ou as famosas e milhares de sequelas que a doença possa acarretar, tenha apenas fé em seus cuidados, diagnósticos e as diretrizes do seu médico.

Hoje, estou sendo cuidado por uma excelente médica: Sílvia Souza. Uma mulher incrível, acolhedora, inteligente e muito querida.
 Confio plenamente nela e na forma maravilhosa como tem me atendido.

É inacreditável o que uma boa profissional pode fazer pela gente. Inclusive, apontar horizontes de esperança e uma vida mais saudável! E sou eu quem está dizendo isto, um cara que já reclamou, esbravejou e brigou com o Universo!!! =)

Demorei anos para encontrar alguém assim e sofri pra caramba este tempo todo, mas agora vejo, com clareza, que há um bom caminho a percorrer, quando queremos nos cuidar!

Sim! Ainda faço minhas artes em Pró Cura, afinal, quem procura acha? Quem sabe?! Não desistirei desta ideia também!

Se você acabou de saber que é um diabético, não se desespere. Procure ajuda profissional e siga as dicas de seu médico.

Tudo vai ficar bem.
Também, não desista das campanhas e lutas dos que desejam melhores atendimentos, insumos e apoio. Esta luta é nossa!

Força e pé na estrada! =)

Conheçam o blog Universo dos Hormônios da Dra. Sílvia Souza, vale muito.
 Espie ai no link >> http://universodoshormonios.com

Nota de Agradecimento!  
Querido Eme, sempre disse que você é o CARA, quando te conheci sabia que tinha uma alma leve por trás daquela armadura e que bom que estava certa! =)
Foi muito bom ter seu depoimento no blog JP e o Diabetes, a coisa mais fantástica que poderia fazer por ti. ;)
Gratidão por tudo sempre!! =)

[Com a Palavra] Cura Diabetes? Pró-cura Diabetes? Já pensou nisso?

Arte: Marcelo Raymundo
http://marceloconscious.wix.com/nobarato#!home/mainPage
Pró-Cura Diabetes ou Cura Diabetes? E aí você já pensou nisso?
Como andam as pesquisas pela cura? Você imagina o tanto de investimentos para pesquisas e novos medicamentos? Um assunto pertinente que não podemos ignorar. 

Com a palavra a querida Yara Resende Rocha, mãe da Laura =)

Não sou Endocrinologista, sou Anestesista, e há alguns anos trabalho na indústria farmacêutica. Tenho uma filha com DM1 ha quase 5 anos. Ela tem 7 anos e meio.

As ideias que seguem aqui, são fruto do que ando lendo, escutando, não tenho nenhuma fonte oficial, não fiz nenhum curso, não anotei nada, estou só passando o que ficou registrado na minha cabeça. 

Cura significa não ter mais diabetes. Nenhum tratamento, nenhuma disfunção. 

O que acho, muito pragmaticamente, em termos de cura, que vai acontecer nos próximos anos? Nada. E estou falando de 20, 30 anos ou mais. 

Pode existir, por exemplo, numa criança que acabou de ser diagnosticada, um tratamento que vai frear essa resposta imunitária e pode retardar o aparecimento da falta quase total de insulina. 

O que vai acontecer então? A vida de nossas crianças com o diabetes vai ser mais fácil (menos difícil, pra quem preferir).

Com técnicas de monitorização da glicemia, de administração da insulina, muito mais fáceis, confiáveis e confortáveis. Porque a tecnologia avança a passos fulgurantes, e melhor assim. 

Aonde estamos, hoje, nos avanços do tratamento, quais são os tratamentos do futuro? 

- Transplante de pâncreas: associado ao transplante de rim em pacientes com complicações irreversíveis, nos casos de insuficiência renal. Ou seja, não é uma indicação de rotina nem para casos de diabetes bem controlado.
Existe transplante de pâncreas isolado, pouco usado globalmente.
Problema: transplante = uso de imunosupressores, medicamentos que podem ter um número enorme de efeitos colaterais e graves, como câncer e infecções, por exemplo. Além disso, alguns imunossupressores podem induzir uma resistência à insulina, o que se traduz por um tipo de diabetes tipo 2, frequente também com corticoides, muito usados nos pacientes transplantados (depende do órgão transplantado).

- Transplantes de ilhotas pancreáticas: com as famosas células beta, que fabricam insulina. 
Também sempre associadas ao uso de imunossupressores. 
As células são injetadas na veia porta e se instalam no fígado, para produzir insulina. Outros locais de injeção estão sendo estudados porque a concentração de glicose na veia porta é muito elevado, o que «confunde» um pouco essas células. Longe de estar no ponto para uso nos próximos anos.

- Transplante de células-tronco:  células indiferenciadas, que podemos induzi-las a se diferenciar, no caso em células que produzem insulina.
Tenho quase certeza que não demandam uso de imunossupressores, o que é uma enorme vantagem (a confirmar). 
Inconveniente: essas células devem ser induzidas a reproduzir, se multiplicar. Células se multiplicando, o que é isso? Isso se chama câncer. Então, difícil de ser controlado no «bom ponto» (não tenho detalhes sobre essa informação). Além disso, essas células também podem/vão ser destruídas pelo sistema imunitário, então é uma solução temporária. Além disso, ensinamos essas células a produzirem insulina, mas existe também a função de produzirem insulina em proporção à glicose sanguínea, o que já é bem mais delicado. O que nos leva a: solução temporária e com chances de ser insatisfatória. Também não esta no ponto.

Então, essas técnicas ainda estão longe de serem interesantes para nosso filhos, agora, ou nos proximos 20 anos, quem sabe mais.

O que vai com certeza ser nossa realidade é o pâncreas artificial. Acho que todo mundo sabe o que é, simplesmente, é uma bomba de insulina que vai administrar a insulina de acordo com a glicemia que ele mede. « Exatamente » como o pâncreas normal. Insulina de base, o dia inteiro, mais insulina em proporção aos aumentos de glicemia consequentes a cada ingestão alimentar.
Ele só não esta disponível ainda porque esse controle é MUITO fino (essa administração de insulina após a refeição é muito complexa, vocês sabem as dificuldades que temos com esses cálculos), o que exige uma precisão enorme das funções dessa máquina, que no futuro próximo vai facilitar muito nossas vidas e aliviar a rotina de nossos filhos.

Conclusão final: temos que aguardar, a cura não está em nossas mãos, a pró-cura depende dos pesquisadores, então ficamos com o que temos e é real, o tratamento no qual nos adaptamos seja, caneta, seringa ou bomba de insulina mas que surtem ótimos resultados.

domingo, 1 de novembro de 2015

[AGIR AGORA PARA MUDAR O AMANHÃ] NOVEMBRO AZUL PELO DIABETES SEMPRE!

Chegou NOVEMBRO AZUL DIABETES!

Usamos AZUL pelo diabetes, por um futuro sem sequelas.

Ter diabetes não é opcional, cuidar, prevenir e tratar essa condição é um direito de todos e para tanto usamos azul pra fazer valer esses direitos.

O azul pelo diabetes é um chamado para a vida, um marco em nossos corações.

Dia Mundial Do Diabetes - 14 de Novembro, nosso compromisso são todos os dias!

O símbolo do diabetes é um círculo azul, foi estabelecido pela ONU. A cor representa o céu que é a mesma cor usada na bandeira das Nações Unidas e o círculo representa a união entre os países.

Desde então adotamos o azul como forma de educar e informar sobre diabetes, participe dessa campanha junto com a gente.

Nosso Novembro Azul se resume em todos que participam e vivem o diabetes no dia a dia, levando esperança, informando e construindo sonhos, abraçando a causa da Educação em Diabetes, enfim buscando e sabendo que podemos fazer a diferença quando se realiza com amor!

No mesmo compasso, no mesmo ritmo, na mesma sintonia um coração azul pulsando e protegendo nosso futuro e agindo agora para mudar o amanhã. Diabetes é o recomeço para um novo caminhar.

O que me move no momento é ajudar e lutar pelo bem em comum! E você qual o seu objetivo?

Muito obrigada por você que faz desse círculo azul um lugar melhor!

terça-feira, 27 de outubro de 2015

[AGIR AGORA PARA MUDAR O AMANHÃ] Concurso de Paródias Diabetes


Olha aqui o que aprontamos pra você agitar o Dia Mundial Do Diabetes - 14 de Novembro!!! =D

Um concurso de PARÓDIAS DIABETES, para juntos vivermos o diabetes de uma forma saudável, positiva e divertida, sim é possível e você vai afinar a voz e mostrar todo seu talento, não deixe de participar e se divertir, e o melhor você ainda pode ser premiado!

Corre lá te prepara e se inscreve, mais detalhes no link >> http://goo.gl/aufxaC

Uma organização dos blogs:



João Pedro e o Diabetes - Silvia Onofre

Saiba o que é paródia assistindo ao vídeo


A letra da música deverá ter como tema "DIABETES", focando num comportamento positivo e bem humorado em relação ao dia a dia com a rotina que o controle exige.

O participante deverá gravar um vídeo e/ou vídeo clip de uma paródia baseado em uma composição (música) original, assegurando ser o detentor dos direitos autorais pertinentes à sua respectiva obra.

O vídeo deve ser publicado no canal Youtube, observando as seguintes configurações avançadas: apenas quem tem o link pode assistir, aberto a comentários e direitos autorais público.
Após o participante deverá enviar o link do vídeo através do formulário constante no blog organizador (http://novembroazuldiabetes.blogspot.com.br), preenchendo todos os dados solicitados.


sexta-feira, 23 de outubro de 2015

[AGIR AGORA PARA MUDAR O AMANHÃ] Atenção pelo NOVEMBRO AZUL DIABETES



Dia 14 de novembro é o dia Mundial do Diabetes, e é nesse mês que as campanhas sobre conscientização e prevenção do diabetes são intensificadas.

O diabetes não discrimina e já virou uma epidemia mundial, não adianta fechar os olhos para essa causa, qualquer pessoa pode vir a ter diabetes desde um bebê até uma pessoa idosa, essa condição requer muita atenção e cuidado.

O cuidar do diabetes é diário, só assim podemos garantir um futuro sem sequelas. Quantas pessoas tem membros amputados, ficam cegas, fazem hemodiálise, entre outros. Falta informação e educação de como proceder.

Agindo hoje as pessoas aos poucos assimilam o dia a dia com o diabetes, através  das campanhas no cuidar, educar e prevenir. Já fazemos isso, só que somos poucos diante de uma mídia que poderia fazer mais.

É preciso urgentemente mudar o olhar sobre o diabetes, custa menos prevenir e educar do que tratar as sequelas.

Conheçam o evento Novembro Azul pelo Diabetes, você não precisa sair de casa para participar, é só clicar em comparecer, trocar a sua foto de perfil ou de capa no Facebook e espalhar informações sobre diabetes. Essa realidade só vai mudar quando todos fizerem a sua parte, vamos formar a maior onda azul pelo diabetes!

#diabetes #novembro azul

Para participar do evento é só clicar na foto.
https://www.facebook.com/events/231974556968314/

sábado, 17 de outubro de 2015

[AGIR AGORA PARA MUDAR O AMANHÃ] A importância da atividade física na infância


Nada melhor para ajudar no controle glicêmico do que a atividade física e para que a criança participe precisa ser incentivada, quer melhor exemplo do que nós pais, então mãos na brincadeira e vamos nos divertir e gastar energias com nossos pequenos, os parques são uma boa opção.

A importância da atividade física na infância é primordial para o desenvolvimento de um ser humano saudável físico e mentalmente, perdurando os bons hábitos por uma vida inteira.

Para criança participar é necessário agir na base ou seja a família, conscientizar que saúde é o fator de maior importância dentro dela e que é preciso combater nas nossas crianças o sedentarismo para que tenhamos adultos com uma qualidade de vida melhor, depende exclusivamente dos nossos hábitos.

Durante as atividades físicas, as crianças devem:
  • Beber água antes, durante e depois das atividades físicas.
  • Usar protetor solar, bonés e óculos de sol em dias mais quentes.
  • Usar o tamanho certo de equipamento de proteção.

Os principais benefícios das atividades são:
  • Crescimento e desenvolvimento saudável
  • Melhor autoestima
  • Ossos, músculos e articulações mais fortes.
  • Melhor postura e equilíbrio
  • Um coração mais forte
  • A faixa de peso saudável
  • Melhor interação social com os amigos
  • Aprender novas habilidades enquanto se diverte.

As atividades tem que ser como brincadeiras para crianças para as mesmas se sentirem motivadas, aproveite esses momentos para dar risadas e curtir as crianças, são instantes que ficaram para sempre em suas lembranças de infância.

"O estudo em geral, a busca da verdade e da beleza são domínios em que nos é consentido ficar crianças toda a vida." [Albert Einstein]

Leia mais em:


Referencias:
http://www.sitemedico.com.br/site/espaco-medico/artigos/6192-a-importancia-da-atividade-fisica-na-infancia
http://www.atividadesfisicas.com.br/beneficios-atividade-fisica-criancas/

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 8] Um círculo azul reeducando o viver!


 
Novembro é marcado por ser o mês do Dia Mundial do Diabetes, onde as campanhas de disseminação de informações são intensificadas. 

O símbolo do diabetes é um círculo azul, foi estabelecido pela ONU.  A cor representa o céu que é a mesma cor usada na bandeira das Nações Unidas e o círculo representa a união entre os países.

Desde então adotamos o azul como forma de educar e informar sobre diabetes, participe dessa campanha junto com a gente.


Agora  me diz você sabe o que é diabetes?

O infográfico criado pelo Márcio, explica o que é diabetes de uma maneira interativa, espie aí.
by Márcio De Paula Pinto
Os sintomas mais comuns são:

- muita sede
- urina em excesso
- emagrecimento sem motivo aparente
- visão embaçada ou borrada
- entre outros...

É importante saber qual o seu tipo de diabetes, entre eles temos:

- Diabetes tipo 1, mais comum em bebês, crianças e jovens, conhecido como DM1, onde é obrigatória a aplicação de insulina, seja através da seringa, caneta ou bomba de infusão, devido a produção insuficiente de insulina pelo pâncreas.

- Diabetes tipo 2, mais comum em adultos devido ao fator obesidade, também acomete crianças pelo mesmo motivo, aqui ocorre a produção de insulina, mas o organismo não consegue metabolizar totalmente a glicose. É tratada através de medicamentos, em alguns casos é feito o uso da insulina.

- Diabetes Gestacional, ocorre na gravidez, com os devidos cuidados a gestante tem uma gravidez tranquila.

O tratamento inclui:

- testes de glicemias
- aplicação de insulina
- alimentação adequada
- prática de exercícios físicos.

O portador de diabetes tem uma vida saudável como todos nós e a condição não é fator limitante pra nada, viva bem e viva feliz com ou sem diabetes!

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 7] Dia Mundial da Obesidade - 11 de outubro


Em 11 de outubro, data conhecida por ser o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, também é pontuado pelo Dia Mundial da Obesidade. A IASO - World Obesity Federation instituiu a data como oficial para alertar sobre o tema. 

A página no Facebook do Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, administrada pela querida Lu Oncken diz o seguinte:

"Nós sentimos que agora é o momento certo para termos um único dia da obesidade, a fim de comunicarmos poderosamente sobre o impacto da obesidade na vida das pessoas, nos sistemas de saúde e economias e também destacar as iniciativas inovadoras que vem sendo realizadas em torno do mundo para combater a obesidade".

Dentre os objetivos do Dia Mundial da Obesidade estão:

- encorajar mais as associações e membros a realizar campanhas de elevado impacto mediático

- aumentar o entendimento público e formulador de políticas do desafio da obesidade, e o que pode ser feito para combatê-la

- compartilhar experiências nacionais de campanha para permitir a difusão das boas práticas.

A campanha se baseia em quatro pilares básicos: comer bem, beber água, movimentar-se e dormir bem.

Entre as crianças tem-se aumentado muito o número de pequenos obesos, a Abeso - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica  tem algumas dicas para os pais, 

Antes de tudo, se você tem filho, SEJA O EXEMPLO. Fazer junto é muito melhor do que dizer o que fazer.

Comer bem pode ser divertido!

Escolha um dia para que as crianças participem da preparação das refeições. Leve-os à feira-livre, por exemplo. Faça o preparo dos alimentos em conjunto. Faça a refeição à mesa, com a família reunida. Se possível, planeje as demais refeições. Faça listas de supermercado, para não exagerar nas compras. Tenha frutas, verduras e legumes em casa, à disposição, e visíveis para as crianças.

Beber água é fundamental para ter mais saúde!

Evite bebidas açucaradas. Não espere a criança ter sede para oferecer água, vá oferecendo aos poucos, ao longo do dia.

Gastar energia, brincando!

Ajude seus filhos a praticar atividades que requeiram esforço físico. Promova uma corrida de bicicleta, leve-os ao parque, junte os amiguinhos para jogos de futebol. Limite o tempo da TV, do computador ou smartphones. Essas atividades roubam tempo precioso que poderia ser usado para se exercitar.

Soninho Bom!

Criar uma rotina de sono é essencial para garantir mais saúde para o seu filho. Dormir bem ajuda a prevenir sobrepeso e obesidade. Os estudos científicos comprovam! 

OBESIDADE É DOENÇA E DEVE SER TRATADA COMO TAL, COM TODA DIGNIDADE E RESPEITO QUE A PESSOA MERECE.

Fonte



Agradecimento especial para a querida Lu Oncken que me socorreu no WhatsApp, repassando referências para o post. Obrigada Lu!! <3




sexta-feira, 2 de outubro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 6] Após saber que filho é diabético, mãe cria blog e supera o medo da doença

A blogagem coletiva  do Grupo de Influenciadores Digitais do Dia Mundial desta #sextazul é sobre a história de vida de cada membro, bom escolhi uma reportagem que fizemos onde conto um pouco de nossa vivência e sobre o blog João Pedro e o Diabetes.

Nossas vivências se cruzam formando uma mesma história, onde nunca estamos sozinhos, diabetes é parte de nós!

Clique no link G1 Piracicaba ou leia abaixo..

Após saber que filho é diabético, mãe cria blog e supera o medo da doença

Silvia Onofre Azevedo decidiu abrir a página após ter diagnóstico de João Pedro.
Após 3 anos, família de Piracicaba agora participa de eventos sobre o tema.

Silvia cria blog para trocar informações sobre doença do filho em Piracicaba (Foto: Claudia Assencio/G1)
Depois de um grande susto, a auxiliar administrativa Sílvia Onofre Azevedo, de 41 anos, virou blogueira. A moradora de Piracicaba (SP) encontrou uma maneira criativa e solidária de lidar com o medo do diabetes e com a experiência de ter uma criança de 11 anos com a doença na família. Um mês depois do diagnóstico do filho, em 2011, ela criou um página virtual para trocar informações sobre a nova etapa do garoto João Pedro Azevedo.

“Quando recebemos o diagnóstico, parecia que um caminhão tinha nos atropelado. Eu achava que meu filho ia morrer. Foi o canal que achei para não me sentir sozinha nesta caminhada”, disse ela sobre a criação da página "João Pedro e o Diabetes".

Sílvia lembra que, na época, desconhecia todos os motivos que levavam as pessoas a desenvolverem a doença. “Eu pensava que apenas as pessoas que ingeriam muito açúcar é que corriam esse risco. Doce ilusão!”, brincou.

Antes de levá-lo ao médico, Sílvia desconfiou dos sintomas que o menino apresentava. “O João Pedro tinha muita sede e ia várias vezes ao banheiro e emagreceu rapidamente”, lembrou. João Pedro tem o tipo 1 do diabetes, que causa o aumento de açúcar no sangue.

O blog fez toda diferença no tratamento de João Pedro, de acordo com a mãe do menino, porque para escrever as postagens, ela precisou se informar cada vez mais sobre a doença.

“Isso acabou refletindo na qualidade de vida não só de meu filho, mas de todos os membros da família”. Silvia contou que, por meio do blog, da troca de experiências com outras pessoas que convivem com a doença, descobriu novos dispositivos, como a bomba de insulina, por exemplo”.

João Pedro não é só motivo para criação do canal de comunicação, ele também atua no blog. "Eu gosto de ler os comentários, acompanhar o número de leitores e a repercussão na página do Facebook, por meio de likes, compartilhamentos e visualizações", disse João.

Silvia contou que quando uma mãe pergunta como agir com o filho, é hora de recorrer ao João. "Peço para me dizer como agiria se fosse com ele e, muitas vezes, o que conversamos me ajuda na resposta para os pais", ressaltou.

Postagem de blog retrata rotina de João Pedro além 
do diabetes (Foto: Silvia Azevedo/Arquivo Pessoal)

Blog
No início, a página contava a história da família Azevedo com o diabetes. “Essa era a ideia original, mostrar o nosso dia a dia, é por um tempo foi assim”, disse Sílvia.

Entretanto, depois a plataforma ganhou novas propostas, mais engajadas, como as “blogagens” coletivas no Dia Mundial do Diabetes e Sextas Azuis. “Passou a ser um veículo de informações sobre diabetes onde muitas pessoas buscam ajuda”.

A iniciativa deu tão certo que Sílvia e João já participam de encontros de blogueiros especializados em diabetes. Atualmente, tanto a mãe quanto o filho não conseguem imaginar como seria se não tivessem o blog ou então ficar sem ele. "Trouxe muita coisa para nossa vida e fez a diferença na de quem buscava auxílio também", finalizou.

Leia o primeiro post do blog : Nossa história

Conheça também a história de vida do irmão do João: Julio César

Beijos e até o próximo post ;)

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 5] Diabetes, e a vida social?


Você é portador de diabetes e aí pensa que aquela saída pra ir na balada, assistir ao seu show predileto, bater aquela bola com os amigos, entre outros não é mais possível..

O diabetes não é fator limitante, com os devidos cuidados e responsabilidade, mantendo o equilíbrio e harmonia tudo é possível, 

"É preciso inovar, renovar e se aventurar todos o dias.
Se não tudo perde a graça, tudo acaba virando "rotina"... 
A vitória pertence em quem mais acredita nela... e quem acredita mais tempo. (A.D.)", né!

Se prepare e pé na estrada, vamos as dicas:

- tenha sempre o seu kit salva vidas a mão com lancetas, tiras reagentes, insulinas e afins em quantidade suficiente;

- água é vital, hidrate-se;

- faça um lanche saudável antes de sair de casa;

- leve carboidrato suficiente pra correção de uma possível hipoglicemia e tenha um extra também pra qualquer eventualidade;

- não esconda sua condição de ninguém e ensine seus amigos como te socorrer caso seja necessário, esse ato pode salvar sua vida;

- importante, tenha contigo um documento de identificação avisando que é portador de diabetes;

- disciplina e curta seu passeio, boa diversão.

Sim é possível ter uma vida normal com diabetes, só depende de você!!! 


Energéticos nas Baladas: Cuidado

DIABETES: O QUE FAZER EM GRANDES EVENTOS?

Evento confirmado: Ser responsável com a Bete!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 4] Contagem de Carboidratos



A contagem de carboidratos é uma terapia nutricional, onde contabilizamos os gramas de carboidratos consumidos nas refeições e lanches, com o objetivo de manter a glicemia dentro de limites convenientes. A razão pela qual contamos gramas de carboidratos é porque os carboidratos tendem a ter maior efeito no controle glicêmico.

Quando entendemos como contar carboidratos, temos uma maior variedade na escolha dos alimentos que compõem o plano alimentar. E também, podemos controlar a glicemia mais exata.

A contagem de carboidratos pode ser utilizada por qualquer pessoa com diabetes, o carboidrato é o nutriente que mais rapidamente se converte em glicose.

As fontes de carboidratos são os pães, os cereais, as farinhas, as massas, as leguminosas, batata, batata doce, mandioca, mandioquinha, mel, açúcares, biscoitos, leite e iogurtes, frutas e sucos, etc, estão presentes também no feijão ervilha, lentilha e soja juntamente com a proteína e com lipídios como em pizzas e sopas. Lembrando que os produtos industrializados também contém carboidratos, por isso é importante sempre consultar o rótulo.

Para descobrir quanto cada alimento contém de carboidratos, podemos utilizar a informação nutricional dos rótulos ou as tabelas de composição dos alimentos. Para calcular, verificamos quanto de cada alimento estamos consumindo em uma refeição e levantamos através das fontes, quanto de carboidrato cada um deles possui.

Para saber se a terapia está surtindo efeito é necessário o monitoramento constante das glicemias, principalmente no início do tratamento para que o médico possa ajustar a quantidade de carboidratos e a dose de insulina.

Saiba mais sobre o assunto nos links abaixo.

Contando Carboidratos


Fontes
Contagem de carboidratos auxilia no controle da glicemia
O que é Contagem de Carboidratos?

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

[BLOGAGEM COLETIVA 3] Alimentação saudável é a base de nossa saúde - enfoque no DM2




  O diabetes tipo 2 é uma doença crônica no qual o organismo não produz suficiente ou utiliza inadequadamente a insulina necessária para que as células do corpo absorvam e possam aproveitar a glicose de modo adequado. Está mais frequentemente associado com a idade avançada, obesidade, histórico familiar da doença, falta de atividade física e algumas etnias. Existem milhões de pessoas com diabetes tipo 2 pelo mundo e a metade dessas pessoas não sabe que tem a doença.
 
O manejo do diabetes não se trata somente de controlar a glicose, mas da pessoa como um todo, mudar o estilo de vida não é fácil, mas é possível, basta encontrar o seu jeito de estabelecer uma rotina. Assim que você conseguir se organizar, perceberá que o tratamento do diabetes pode ser incorporado naturalmente no seu dia a dia.

Uma alimentação saudável ajudará você a atingir seus objetivos, anote quantas refeições você faz e os alimentos que você come diariamente, observe as quantidades de tudo que você come e bebe. Se você acha que precisa mudar muitas coisas para alcançar uma alimentação mais saudável, comece aos poucos, pela mudança que for mais fácil, um passo de cada vez.

Eis alguns passos de uma alimentação saudável para você começar:
1. Distribua os alimentos em 5 a 6 refeições.

2. Estabeleça horário para as refeições.

3. Evite os açúcares.

4. Diminua o consumo de gordura: dê preferência por  leite desnatado, queijos brancos, carnes magras, alimentos preparados com pouco óleo, evite frituras: use pouca quantidade de margarina, manteiga e requeijão.

5. Evite os alimentos salgados:  eles podem aumentar a pressão arterial, diminua o sal de cozinha, use temperos naturais, evite alimentos industrializados.

6. Prefira alimentos ricos em fibras: frutas com casca ou bagaço, verduras, feijão (leguminosas), arroz integral, pão integral, aveia em flocos, etc.

7. Consuma variados tipos de frutas e verduras: use sempre aqueles de cor intensa, como os verde-escuros e amarelos.

8. Evite bebida alcoólica.

9. Beba água: 10 copos por dia.

10. Uma alimentação saudável e exercícios físicos vão lhe proporcionar peso mais adequado, além de ajudar no controle do diabetes. Converse com o médico para escolher a atividade física mais adequada para você.
 
 Referências bibliográficas