sábado, 12 de novembro de 2011

Diabetes e o emocional

Nós estamos de volta para mais uma postagem sobre o mês AZUL!

Vamos falar hoje um pouco das emoções que sentimos no momento da descoberta.

Quando se é diagnosticado com diabetes geralmente parece que o "mundo caiu em nossa cabeça", várias peguntas passam por nossa mente: O que fazer em primeiro lugar? Como lidar com isso? Será que o meu filho vai viver ou morrer? São tantos conflitos íntimos que nos sentimos pequenos demais frente ao futuro.

Podemos ter um sentimento de derrota, de revolta, de raiva e muito mais, mas com o passar dos dias passamos a entender melhor esse furação que em primeiro momento nos devasta.

O primeiro passo para trabalharmos todas essas emoções contraditórias é aceitar e entender o diabetes com todas as suas implicações, não é o fim do mundo, temos o poder sim de ter uma vida normal com os cuidados exigidos.

Cada pessoa tem o seu tempo para digerir essas emoções, mas no final todos acabam entendendo que com a chegada do diabetes, melhoramos em muito a nossa qualidade de vida, tanto física quanto emocional.

O apoio de familiares, amigos e pessoas próximas é fundamental para ajustar as nossas emoções, nós sem exceção recebemos muito disso de todos nossos amigos, familiares e até pessoas que não conhecíamos, essa força do bem, nos fortalece e nos anima a continuarmos nossa caminhada.

Conheçam algumas dessas pessoas que não são azuis, mas fazem toda diferença em nossa vida:

da esquerda pra direita
Luciana, Tchaula, Goreth, Raquel, Deborah, Mari, Vanisa, Adriana (professora do João), Vania 

Janaína, Bebê (tb de azul), Tiago

Luciane

Adolfo e Lurdinha

Danilo, Goreth, Raquel, Vanisa, Mari

Carina
 Esses são alguns dos amigos que trabalham comigo na escola e convivem diariamente com o João, a primeira foto são todas as professoras do período vespertino. Temos um carinho especial por todos, sem a presença de vocês a nossa vida  não seria tão feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário