terça-feira, 7 de agosto de 2012

Divagando com o diabetes..

Há exatos 14 meses eu mal sabia o que era diabetes, hoje faz parte da minha família, quando se é diagnosticado parece que tiraram o chão de nossos pés, precisamos de uma pausa pra assimilar tanta informação. Podemos chorar, descabelar, gritar.. mas isso não vai mudar o diagnostico, vai sempre fazer parte da vida de meu filho ou do seu.

Precisamos de muito apoio, carinho e compreensão, é nesse momento que entram a família, os amigos, a equipe que vai cuidar do tratamento de nosso filho, encontramos força pra fazer o melhor. O segredo pra um sucesso no tratamento é tudo isso e muita informação.

Como essa é a realidade de meu filho, estou a todo momento em busca da melhoria de vida com o diabetes, isso está em pauta nos grupos de discussões.

Ouvimos falar muito que "fulano morreu de diabetes" ou  "o zé está mau assim por causa do diabetes", as pessoas em geral enfatizam muito as consequências dessa deficiência, a mídia principalmente investe muito nesse lado, rende ibope, dinheiro, infelizmente os "grandes" visam apenas o lucro. Eu nunca vou me cansar de dizer que o diabetes não mata, o que causa tudo isso é a falta de controle do tratamento.

Mas aos poucos mobilizações vão surgindo, um encontro aqui, outro ali, uma associação nova que surge no meio do caminho, pessoas lutando em prol da mesma causa. 

O momento agora é de união independente do tipo, todos unidos pela mesma causa, a Educação em Diabetes para todos! Cada pessoa pode contribuir fazendo a sua parte, exigindo os seus direitos de cidadãos, participando de reuniões, encontros, enfim fazendo a diferença.. pois só assim chegaremos lá!

Podemos mudar essa realidade, temos que mostrar o lado bom. Diabetes não é o fim, é o recomeço da vida! Uma vida muito mais feliz e de esperança!!

12 comentários:

  1. Gostei muito, e acredito que só é possivel educar com esperança e não com ameaças, quando alguém diz, será assim, ja bloqueou metade do aprendizado, mas quando você abre uma janela de opções possiveis, é claro, pelo menos a maioria vai optar pelo melhor.
    Eu acredito nisso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Educando com amor né Sarah!!
      Acredito muito nisso!

      Excluir
  2. Eu sempre acreditei nisso, que é a falta de tratamento que mata.
    Quando meu filho foi diagnosticado, em 2005, procuramos ter em mãos tudo o que pudiamos encontrar.
    Eu ia a todos os encontros, trocava vivências com todos e participava dos fóruns. Meu cunhado era meu grande parceiro nessa empreitada, por isso é muito importante termos a família por perto.
    Na verdade meu cunhado foi tão importante que hoje estou casada com ele.
    Mas isso é uma outra história...

    Beijos.
    Sandra Ivone

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra isso se chama Educação em Diabetes!!!
      Agora o resto da história.. qquer dias vc me conta rsrsrs
      Bjoo

      Excluir
  3. Estamos no caminho certo Silvia,fazemos a nossa parte procurando o melhor pra nossos filhos e tentando mostrar aos outros que Diabetes não é o fim do mundo e sim como vc disse o início de uma vida mais feliz!
    As pessoas no geral tem o péssimo hábito de só procurar se informar sobre algo quando é necessário,esse é o mal que acomente nossa sociedade...e por isso saem falando horrores sobre a doença.
    Eu vejo no rosto de minha filha um futuro cheio de saúde,cheio de alegrias e vitórias!
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Natália, nossos filhos são prova disso!!
      Bjo pra vcs!!

      Excluir
  4. Isso aí, Sil. Todo mundo tem o direito a momentos de desesperança, cansaço, na administração dessa doenca mas esse tempo tem q passar e a ação tem q substituir esse sentimento (ou conviver c ele) pra ajudarmos nossas crianças a serem responsáveis, felizes e nao se sentirem vitimas.
    Beijo
    Yara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossos filhos serão pessoas muito mais fortes e sábias pra administrar as adversidades da vida e com certeza pessoas felizes!
      Beijo

      Excluir
  5. Silvia
    Quando soubemos da condição do meu querido Bruno Alberto, que hoje está com 17 anos e é um rapazão, ficamos muito abalados. Pense num menino, aos 7 anos, que se vê envolvido nisso tudo!
    Nos primeiros meses até me acostumar com essa rotina, eu sempre me esquecia de aplicar a insulina, fazer as medições. Depois de muitas internações aprendemos e hoje ele é muito disciplinado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandra meu filho foi diagnosticado um mês antes de completar 7 anos, sei muito bem sobre o que fala.
      Aprendemos a cada dia menina!!

      Excluir
  6. É Silvia!Nossa luta hj acredito que seja para educa-los com amor, pois enquanto está nas nossas mãos é controlável. Importante para nós, tanto qto transmitir valores humanos, religiosos e etc é transmitir a importância de saberem que tudo podem, desde que se cuidem
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo né Kellen.. educa-los pra vida!
      Beijos

      Excluir