sábado, 10 de janeiro de 2015

Criança, diabetes e responsabilidade

Criança, diabetes e responsabilidade é muita coisa junto até arrepia neh, mas não temos como fugir disso. Acho que já falei sobre esse assunto aqui no blog, mas nunca é demais reforçar..

Você sabe o significado da palavra responsabilidade
Segundo o dicionário um dos significados é: "dever de arcar com o próprio comportamento ou com as ações de outrem".

Em vários aspectos da vida assumimos responsabilidades, com o tratamento de diabetes não é diferente. Quando criança a responsabilidade maior do tratamento é dos pais. As crianças podem colaborarm mas quem assume é o adulto. Assumir a responsabilidade com o tratamento do diabetes é ir além de cumprir com a etiqueta solicitada pelo tratamento. Para manter os níveis glicêmicos dentro de uma normalidade, o portador de dm (criança ou adulto) precisa enfrentar uma série de desafios: mudança de hábitos, cuidar do diabetes 24 horas/dia, da alimentação, fazer contagem de carboidratos, praticar atividade física, monitorar as glicemias, injetar várias vezes ao dia a insulina ou administração de uma bomba de infusão de insulina, e por aí em diante...

Buscar informações pra uma melhor qualidade de vida, fazer valer os direitos de nossos filhos também é uma responsabilidade nossa de pais presentes e ativos. Sim, se a criança tem direito aos insumos, medicamentos, insulinas e tratamento pelo SUS, devemos buscar junto aos órgãos competentes fazer valer esses direitos, é nosso dever! Dá trabalho com certeza, acordar cedo, pegar filas, preencher formulários, ir e vir, mas só assim assumindo essa responsabilidade poderemos mudar algo, construir pontes não é fácil e ninguém falou que seria.


E como as crianças podem ajudar? Até onde podemos deixá-las ser responsáveis? Eita perguntinha difícil.. Andando pela net encontrei o texto "Como ensinar os filhos a tomar decisões", estou compartilhando alguns trechos aqui, vale a leitura, para ler na íntegra acesse o link no final do texto.

Ser responsável não é o mesmo que obedecer “ao pé da letra”. Ser responsável significa escolher. E decidir por si mesmo. Por isso, para ensinar as crianças a ser responsáveis há que dar-lhes as máximas oportunidades para tomar decisões. 

Podemos ajudar nossos filhos aprender a decidir dando-lhe muitas oportunidades para tomar decisões a curto, médio ou longo prazo. 

Deveremos, na medida do possível, evitar decidir por eles ou intervir excessivamente em suas decisões. A medida que vão crescendo, os pais devemos ser capazes de “ir soltando os nós” dando-lhes maior autonomia e capacidade de decisão. 

Os pais devemos permitir a nossos filhos que se enganem às vezes em suas decisões. Se a criança sofre as consequência negativas de uma decisão certamente será mais rigoroso nas seguinte decisão que adota. 

Os procedimentos para ajudar aos filhos a ser responsáveis se apoiam em quatro pontos: 

a) O CORRETO EXERCÍCIO DA AUTORIDADE à hora de estabelecer algumas normas e limites: os pais devemos ser capazes de exercer a autoridade de forma coerente estabelecendo alguns limites e algumas normas de comportamento.Desta forma, se seu filho conhece os limites, é capaz de tomar decisões e prever as consequências das mesmas. Seu filho deve saber pois, claramente, o que espera dele assim como as consequências que acarreta o incumprimento de suas responsabilidades.

b) O Amor e carinho entre pais e filhos e A CONFIANÇA MÚTUA. Devemos demonstrar a nossos filhos, ainda que às vezes nos levemos a algum desengano, que confiamos neles. Que sabemos que são capazes de cumprir e esperamos o melhor deles.

c) O DESENVOLVIMENTO MORAL e o progressivo conhecimento do bem e do mau. Ao redor dos 7 anos se produz o nascimento da consciência moral. A esta idade se tornam capazes de suspeitar e analisar os motivos e as consequência de suas ações, de descobrir o que é bom e o que é mau. Devemos, pois, aproveitar esta etapa para formar sua consciência em um ambiente de disciplina, carinho e exigência. Desta forma estaremos favorecendo o desenvolvimento da responsabilidade. 

d) O EXEMPLO E O PRESTÍGIO DOS PAIS. As crianças copiam continuamente as atitudes de seus pais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário