sexta-feira, 2 de maio de 2014

Lilica, o mascote!

Gente, olha essa ideia que bacana pra ajudar na escola a falar de diabetes de uma maneira simples e divertida.

Aqui a Audrey mamãe da Marina personalizou o mascote com uma bombinha de insulina, mas pode ser usado caneta sem agulhas, seringas sem pontas, etc.. que tal usar a imaginação e fazer algo parecido.

Leve essa ideia para a escola de seu filho, converse com a coordenação quem sabe dá certo e todos aprendem sobre diabetes de uma maneira divertida.

Audrey, obrigada pela colaboração!

"Olá, sou a Audrey, mãe da Marina dm1. Ela tem 5 anos, está no 1º ano do Ensino Fundamental. No início do ano letivo foi elaborado um projeto pedagógico: “O Mascote”.

Esse projeto é uma estratégia com uma parceria dos pais, que ajuda a promover valores, formação e educação dos pequenos.

O nome do mascote é escolhido pelas crianças, a turma fica responsável por todo cuidado da companheira. O mascote surge como um recurso para desenvolver boas maneiras e virtudes como coragem, honestidade, respeito, companheirismo, ou seja, assuntos sérios, que ainda são abstratos para a criança.

Lilica foi o nome escolhido. A cada final de semana um aluno leva a nova amiguinha e um diário para a casa. Os pais precisam ser parceiros nessa hora, estimulando a responsabilidade de não sujar, não rasgar, cuidar da amiguinha e não deixar que ela seja maltratada por ninguém, já que terão que devolver aos colegas na segunda-feira. Os pais escrevem e ilustram com fotos como foi a experiência.

Aproveitei toda essa situação para por o diabetes em destaque: Escrevi sintomas de hiperglicemia, fiz ponta de dedo na mascote, “bombei” a mascote e ilustrei com fotos.

Nunca cheguei a encontrar algum tipo de preconceito/resistência entre alunos, pais ou corpo docente, mas achei interessante abordar o tema para conhecimento de outros pais e familiares, afirmar para a Marina que ter diabetes pode ser encarado também de uma forma divertida."




10 comentários:

  1. Otima atitude dois pais, em aproveitar o projeto da escola e expandir informacao! Parabens Audrey! A Marina e linda!

    ResponderExcluir
  2. Adorei a idéia .... Parabéns Audrey ... uma bela parceria que irá gerar muita informação e conscientização .

    ResponderExcluir
  3. Muito legal essa ideia. Crianças precisam de incentivos assim, já que ainda não entendem que são DMID.

    Mas eu queria pedir um favor aqui também, estamos desenvolvendo um projeto muito interessante na Universidade Federal do ABC, onde meu namorado estuda engenharia, e este projeto visa contribuir com o desenvolvimento tecnológico em prol do bem estar do diabético com melhorias no tratamento, incentivando colegas e professores doutores a pesquisar e dar continuidade no desenvolvimento de tecnologias que já estão em estudo na UFABC.
    Então você mamãe, pode responder em nome do João Pedro, o questionário, são menos de 5 minutos, ou por gentileza compartilhe no seu blog, se possível.

    Obrigada.

    O link para responder está aqui:
    https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?fromEmail=true&formkey=dGNPanFfY0JzR2tRWTFhSGtwWlVFeHc6MA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei de responder e vou postar na fanpage do Facebook, gostaria de saber um pouco mais sobre essa pesquisa.
      Obrigada

      Excluir
    2. Sim, nós te explicamos, me procura no facebook que lá já postamos várias informações. meu nome é Micaela Garcia Queiroz.

      Agradeço a ajuda.

      Excluir
  4. Bom meu nome é Kátia, sou mãe do Rafael de 7 anos, tudo começou no ano passado tirei férias como sempre junto com eles em julho, quando teria que voltar ao trabalho peguei folga de 2 dias para voltar só na segunda, na quinta-feira 1 agosto o Rafa começa com vômitos do nada, passamos a noite toda cuidando dele, no dia 2 tudo normal, quando durante a noite novamente vômitos sem febre sem mais nenhum sintomas, levamos ao pronto socorro, onde o diagnostico foi de virose, voltamos pra casa, durante a tarde mais vômitos, voltamos ao PS e virose novamente, quando no domingo ele já não comi nada e fraco sem animo pra nada, fiz dietas leves ele melhorou, liguei pra pediatra dele e marcamos uma consulta, contei o que tinha acontecido e ele desconfiou de uma gastroenterite, e pediu vários exames e disse pra manter uma dieta bem leve, fizemos os exames e voltamos em 15 dias, pra minha surpresa a glicemia veio com 126, e exame de colesterol alterado, ela me encaminhou ele ao endócrino. Apos isso passou com vários médicos até chegar ao Dr. Anderson que fechou o diagnostico de DM tipo Mody. Susto, desespero, frio na barriga, tudo aconteceu naquele instante, pensei que não iria resistir a tal noticia. Vinhemos pra casa com uma dieta sem nada de açúcar e com carboidratos controlados, quando na consulta de janeiro deste ano ele vem com a noticia de que ele está piorando e precisa entrar com insulina, pronto naquele momento morri ! Sai de lá aos prantos e sem saber o que fazer, a ficha vem caindo cada dia um pouco, tem dias que choro muito outros levo de boa, ele aceita super bem, não questiona, quase não reclama, isso me mata, pq ele é muito bom. Deus tem me dada muita força, e vamos levando como dá, ele ainda está no processo de lua de mel, quando ainda produz insulina, mas o que mais me assusta e que ele pode evoluir pra uma DM1, mas não sabemos quando e como, as A1C tem ficado cada vez mais altas, mas ele mantém anticorpos negativos, tudo ainda é um mistério que temos que acompanhar pra ver para onde vai. Nosso natal do ano passado foi horrível, mas graças a Deus ele está bem, conseguimos descobrir bem no inicio sem cetoacidose ou outros problemas mais sérios. Agradeço a Deus pelo ano doce que ele me enviou !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Katia!!todos sabemos o quanto é difícil a aceitação e primeiro contato com a rotina do diabetes, especialmente pelo fato de envolver aplicações de insulina!!!!mas oq quero te dizer, por agora, é que juntas, formamos uma grande família virtual, que se apoia, divide angústias, conquistas e nossas rotinas! Diabetes não impedirá seu filho de fazer nada....esteja certa disto....somente precisará ser uma pessoa disciplinada....e quem não precisa, não é mesmo?!
      Esse cantinho aqui é bem especial e vc encontrará sempre palavras amigas e apoio!!!bjo grande
      Sou mãe da Marília....dm1 há 2 anos, hj com 6 anos

      Excluir
    2. Katia, seja bem-vinda neste espaço! Descobrir o diabetes tira o nosso chão, mas com o passar do tempo descobrimos que não é nenhum bicho de 7 cabeças, aprendemos a cuidar e tratar, vamos percebendo que podemos ter uma vida normal sem limitações e nossos filhos são nossos exemplos de aceitação e força.
      Você viu o meu filho, a Kellen que te respondeu e várias famílias convivendo muito bem com o dm.
      Temos que aceitar é o primeiro passo, informação é tb o segredo para uma amizade com o dm, qto mais vc conhece mais saberá como agir.
      Tenha calma, vá um dia por dia vez e vc verá que sim é possível. Qdo precisar sabe que estamos por aqui.
      Seu filho é uma graça, força querida!
      Um beijo

      Excluir